Sangue de Boi
(Pyrocephalus rubinus)
Azulinho
(Cyanoloxia glaucocaerulea)
Martim-Pescador
Chloroceryle americana
Trinca-ferro
(Saltator similis)
Sabiá do Banhado
(Embernagra platensis)
Cardeal
(Paroaria coronata)
Caracará
(Caracara plancus)
Marreca de Coleira
(Callonetta leucophrys)
Falcão de coleira
(Falco femoralis)
Bacurau tesoura
(Hydropsalis torquata)
Marreca Cricri
(Anas versicolor)
Carão
(Aramus guarauna)
Crispim
(Tapera naevia)
Arapaçu platino
(Drymornis bridgesii)
 
 
São mais de 185 espécies de aves já catalogadas no Parque Estadual do Espinilho. Treze delas estão ameaçadas de extinção. No local elas ficam protegidas. Elas emprestam o canto e a beleza para completar o espetáculo de preservação no parque.

 

Parque Espinilho: estudante barrense é premiado no Rio de Janeiro



Saúde e o Meio Ambiente é um dos temas do projeto educativo bienal promovido pela Fundação Oswaldo Cruz para estimular o desenvolvimento de atividades interdisciplinares nas escolas públicas e privadas de todo o país, voltada aos alunos do 6º ao 9º ano do Ensino Fundamental e do Ensino Médio. O projeto visa fortalecer nos jovens estudantes o desejo de aprender, conhecer, pesquisar e investigar.

 

Na Barra do Quaraí, o aluno Gustavo Barros se fez uma pergunta: "Como foi criado o Parque do Espinilho?" -- para responder a essa questão, ele resolveu contar uma singela história, com direito a desenhos de sua própria autoria.

 

O resultado do seu talento e arte foram compensados: seu trabalho foi premiado e ele viajou ao Rio de Janeiro para participar de diversas atividades culturais e ambientais.

 

Abaixo os desenhos e a redação do estudante.



Como foi criado o Parque do Espinilho?



 

Tudo começou há muito tempo... num tempo de conflito entre agricultores e ambientalistas.


Os agricultores não aceitavam a criação do Parque do Espinilho porque ueriam usar a terra para plantar arroz e soja. A luta durou muitos anos. Enquanto isso, os recursos naturais foram sendo poluídos, os esgostos foram para os rios e o desmatamento atingiu o Bioma Pampa.


Essa ação do homem provocou uma catástrofe ambiental. Os humanos, fugindo dos perigos que provocaram, vieram se refugiar na região do Parque do Espinilho. Ali, eles encontraram o formigueiro gigante e queriam entrar de qualquer maneira. E as formigas operárias foram avisar a Rainha:


-- Majestade! Os humanos querem invadir o formigueiro gigante para fugir da catástrofe ambiental.

 

-- Não vou permitir - disse a Rainha.

 

Mas, os humanos imploravam:

 

-- Por favor, Majestade, vamos morrer se ficarmos fora do formigueiro...

 

-- Vocês são os verdadeiros culpados da catástrofe ambiental. Não deixo entrar.


-- Majestade, pense na biodiversidade da qual o homem também faz parte. Ajude a preservar a vida no planeta.


-- Humm, interessante o seu discurso. Tive uma idéia. Ajudo vocês mas com uma condição - disse a Rainha com um brilho no olhar.

 

-- Diga, Majestade!

 

-- Vocês podem se refugiar no formigueiro gigante até a catástrofe ambiental passar, mas devem criar uma unidade de conservação nesse lugar que será chamada de Parque do Espinilho.

 

-- Seu pedido é uma ordem, Majestade!

 

E assim se criou o Parque do Espinilho e várias ações foram desenvolvidas para a sua preservação.

 


Equipe de reportagem da RBS entrevista o estudante Gustavo.



  • Comentário:


Nome:
Email:
Mensagem: